BANDA SINFÔNICA DA EMUFPA 

A Banda Sinfônica da Escola de Música da UFPA é resultado das atividades do Curso Técnico em Instrumento – habilitação Instrumentista de Banda, oferecido pela instituição. Único no Pará dedicado exclusivamente à formação do instrumentista de banda, o curso visa à preparação dos alunos para a cadeia produtiva de música, para atuar em bandas militares, grupos populares e orquestras sinfônicas. Com duração de dois anos, o curso oferece formação teórica, prática de banda, estudo de naipe e atividades de performance artística, sendo minuciosamente trabalhadas as técnicas necessárias para se tocar o repertório próprio para esta formação, original e/ou arranjos. Além disso, os alunos participam de palestras sobre pesquisa em música, sobre o mundo do trabalho e outros temas pertinentes. Formado por instrumentistas da capital e de outros municípios, o grupo tem participado de eventos do Governo Federal, como os realizados dentro do Pronatec e da Rede Certific; tem atuado também em edições anteriores do Encontro de Arte de Belém. Atualmente, a Banda Sinfônica da EMUFPA tem a coordenação do professor Elielany Carvalho e a colaboração dos professores Jacob Cantão, Luiz Otávio Albuquerque e Paulo Porto.

ESTÚDIO ÓPERA PARÁ - AMAZÔNIA 

O EOPA é um projeto de extensão da EMUFPA que pretende produzir e circular na região metropolitana de Belém uma montagem anual de ópera com estudantes da EMUFPA e de instituições afins, promovendo a inclusão de novas plateias através de palestras e concertos didáticos para público variado, em especial para estudantes de escolas públicas de ensino fundamental e médio. Se possível, incluir diferentes classes sociais e regiões que raramente têm acesso ao teatro musical na cidade. Com essas montagens, o projeto pretende oferecer aos artistas participantes uma complementação curricular para os cursos de música que não contêm disciplinas de teatro ou encenação. O EOPA já realizou a montagem de óperas como La Dirindina (1737), de Martini e La Serva Padrona (1733), de Pergolesi, dois importantes títulos operísticos do repertório cômico que são pouco divulgados na nossa cidade. O projeto é coordenado pelo professor Milton José Atayde Monte.

EMUFPA JAZZ TRIO

O grupo é formado pelos professores Isac Almeida (piano e voz), Adelbert Carneiro (contrabaixo) e Walter Almeida (bateria), e tem por objetivo a interpretação do repertório jazzístico e de música brasileira para a formação trio. Acompanha a realização musical a pesquisa de repertório e de performance. A manutenção do grupo é um dos objetivos propostos pelo Projeto de Pesquisa da EMUFPA “A formação trio piano, contrabaixo e bateria no jazz e na música brasileira”, conduzido pelos mesmos professores. O grupo realiza ainda atividades didáticas, como a disciplina Prática de Repertório (blues, jazz e música brasileira) para alunos do curso técnico em instrumentista de Big Band. Iniciado em 2016, EMUFPA jazz trio já se apresentou em eventos internos da EMUFPA e no 43˚ ENARTE.

EMUFPA JAZZ BAND

A proposta da EMUFPA Jazz Band é desenvolver aprimoramento técnico e musical na execução de repertório jazzístico e de música popular brasileira, com foco na improvisação, seguindo a tradição das grandes big bands americanas. O grupo foi criado pelo professor de trompete Elielson Gomes e é formado por alunos do Curso Técnico em Instrumento, habilitação Instrumentista de Big Band. O curso, criado em 2013, tem duração de dois anos e a cada ano vem se desenvolvendo mais e tendo maior procura do público nos processos seletivos de ingresso. O grupo apresentou-se em eventos como o 9º SIMCAM (2013), 1ª Semana Temática de Sopros (2013) e nas edições de 2013 a 2016 do Encontro de Arte de Belém - ENARTE.

DUO AZULAY

O Duo Azulay foi criado em 2011 pelos irmãos pianistas Adriana e Humberto Azulay, com o objetivo de divulgar a obra para piano a quatro mãos e para dois pianos, principalmente de compositores brasileiros. O duo tem se apresentado regularmente em festivais, congressos e seminários pelo Brasil.

Adriana Azulay: Concluiu o curso técnico em 1996 e o curso de Bacharelado em Música da Fundação Carlos Gomes / Universidade do Estado do Pará, em 2000, na classe da professora Glória Caputo. Realizou o mestrado em Música de Câmara na Universidade de Karlsruhe (Alemanha) e doutorado em Música de Câmara pela Universidade de Saarbrücken (Alemanha). Atualmente é professora das classes de Música de Câmara e pianista correpetidora da Escola de Música da UFPA.

Humberto Azulay: Iniciou seus estudos com Glória Caputo, concluindo em 2003 o Curso Técnico no Instituto Estadual Carlos Gomes e em 2005 o Bacharelado em Piano. Concluiu em 2010 a Especialização em Fundamentos da Criação Musical e em 2012 o Mestrado em Artes, ambos pela UFPA. Apresentou-se como camerista e solista em diversas edições do Festival Internacional de Música do Pará, Encontro de Violoncelos da Amazônia, entre outros. É professor de piano e música de câmara da Escola de Música da UFPA e presidente da Academia Paraense de Música.

DUO QUIRIRÚ

O Duo Quirirú foi criado em 2007 por Milton Monte e Líliam Barros e já desenvolveu diversos projetos, entre eles o de performance de música paraense para piano e barítono constante no acervo Vicente Salles do Museu da UFPA. Ao longo dos anos, o Duo já agregou diversos outros artistas como integrantes e convidados, a exemplo do pianista Carlos Pires e do cantor e regente Philipe Forget. Tem por objetivo fomentar e divulgar a produção composicional contemporânea paraense para canto e piano, bem como promover interfaces com outras artes.

ORQUESTRA SINFÔNICA PAULO KEUFFER - OSPK

A história da grupo inicia em em abril de 2015, quando se instituiu a Orquestra de Cordas Paulo Keuffer (OCPK), sob a regência do maestro Agostinho Fonseca Júnior. Anteriormente, chamava-se Orquestra de Cordas da Escola de Música da UFPA, atuando sob a regência do maestro Miguel Campos Neto. Em 2017 o grupo se expandiu para a Orquestra Sinfônica Altino Pimenta, permanecendo sob a regência do Prof. Agostinho Fonseca Júnior. Os integrantes do grupo são alunos do curso técnico da Escola de Música da UFPA, com participação de alguns convidados. A OCPK tem dois objetivos que norteiam a sua trajetória: proporcionar aos integrantes a experiência como solistas e divulgar obras de novos compositores paraenses. O repertório, desenvolvido de forma progressiva e didática, é eclético, com músicas do período barroco, clássico, temas de filmes, música popular e música contemporânea. 

ORQUESTRA CONCERTISTA DA EMUFPA

A Orquestra Concertista da EMUFPA é um projeto de extensão que tem como objetivo promover as qualidades solísticas dos alunos e professores que o integram. Sendo assim, a orquestra pode ser considerada como um laboratório de performance, onde todos atuam no papel de solistas através de obras que vão do barroco até o século XXI. A coordenação é do Professor Rodrigo Santana, com a colaboração dos professores Dr. Celson Gomes, Me. Miguel Campos e Me. Cristian Brandão.

ORQUESTRA DE VIOLONCELISTAS DA AMAZÔNIA - OVA

A Orquestra de Violoncelistas da Amazônia (Amazon Cello Choir) foi criada em 1998 pelo Prof. Dr. Áureo DeFreitas. Sendo a única orquestra profissional de violoncelistas do Brasil formada por alunos de uma escola de educação profissional, vem fazendo parte da agenda cultural da EMUFPA e causando impacto no cenário nacional e internacional. Ao longo desses 18 anos de atividades, tem sido a preocupação constante de seu coordenador a valorização dos integrantes, fazendo com que sejam reconhecidos pelos melhores violoncelistas do cenário musical nacional e internacional.

Os integrantes da Orquestra de Violoncelistas da Amazônia vêm representando o estado do Pará em turnês realizadas no exterior (Turnê França 2015; Turnê Suíça 2015; Turnê China 2010; Turnê Holanda 2004; Turnê Estados Unidos 2002) e no Brasil (Turnê Palmas 2016; Turnê Brasília, DF 2016; Turnê Salvador 2014; Turnê Goiás 2013; Turnê Florianópolis 2012; Turnê São Paulo 2012; Turnê Brasília 2011; Turnê Rio de Janeiro 2004, 2001, e 2000; e Turnê Curitiba 1999).

ORQUESTRA INFANTO-JUVENIL HELENA MAIA

A Orquestra Infanto-Juvenil Helena Maia foi criada em agosto de 2004 pela professora Silvia Matos Qader e fez sua primeira apresentação no 31º ENARTE. Com o objetivo principal de proporcionar aos alunos de cordas friccionadas do nível básico a prática orquestral, o repertório do grupo consta de obras de todas as épocas, possibilitando aos integrantes o desenvolvimento de aspectos técnicos com ênfase na diversidade de estilos musicais. Em Junho de 2008 a orquestra passou a chamar-se Orquestra Infanto-Juvenil Helena Maia, em homenagem a esta professora, que por anos se dedicou à prática orquestral na EMUFPA. Desde sua criação, o grupo vem realizando apresentações em grandes salas de concerto de Belém, como Theatro da Paz, Igreja de Santo Alexandre e São José Liberto, em eventos como o ENARTE, Concertos Natalinos, Corredor Cultural e outros. A coordenação e regência são da professora Silvia Matos Qader, com colaboração do professor Rodrigo Santana e participação dos alunos do curso técnico Vinícius Araújo, Eduardo Florentino e Ingrid Queiroz.

ORQUESTRA INFANTIL DE VIOLINISTAS LÍCIA ARTANTES 

Criada em 2000 pelos professores Celson Gomes e Joziely Brito, e coordenada desde então pela professora Joziely Brito, a OIVLA tem como objetivo buscar a extensão das atividades desenvolvidas em sala de aula sob a forma de grupo orquestral de violinos. Desde sua criação o grupo vêm se apresentando periodicamente, no mínimo três vezes ao ano. Com foco no desenvolvimento do ensino coletivo do estudo do violino, no desenvolvimento de aspectos cognitivos e na socialização das crianças, a coordenação da OIVLA propõe ao grupo apresentações de musicais infantis com ênfase em canções e roteiros inéditos, elaborados de acordo com o desenvolvimento das crianças. A OIVLA possui participação ativa em eventos anuais, nos quais se apresenta nas principais salas da cidade. Entre os eventos, estão: Encontro de Arte de Belém – ENARTE, Concertos Natalinos, Projeto Sexta de Arte, Projetos Sociais (Junho com Solidariedade e Natal Solidário).

ORQUESTRA SINFÔNICA ALTINO PIMENTA - OSAP

Fundada em 2011, a Orquestra Sinfônica Altino Pimenta recebeu este nome em homenagem ao músico paraense Altino Pimenta, que enriqueceu o cenário musical do estado com suas composições. Atualmente a orquestra conta com 60 músicos, dentre alunos da instituição e alguns convidados, e dedica-se não somente a fazer concertos com os clássicos universais, mas também dá destaque à produção musical paraense. Dentre as suas principais apresentações estão a montagem experimental da ópera Don Pasquale (de Gaettano Donizetti), a participação no Festival Música na Estrada 2015 em Belém e em Macapá, a produção da ópera La Traviata (de Giuseppe Verdi), e o Ciclo Beethoven - sinfonias de Ludwig van Beethoven - realizado ao longo de 2016, com encerramento no Theatro da Paz, na programação do 43˚ ENARTE. A OSAP tem como regente titular o Maestro Miguel Campos Neto, que desenvolve o trabalho com a orquestra desde a sua fundação.

PARÁ TROMPAS

O grupo Pará Trompas surgiu como projeto de extensão na Escola de Música da UFPA em março de 2016. Apresentou-se em eventos da EMUFPA, em recitais de avaliação e também em recitais da classe de trompa do curso de Bacharelado em Música do Instituto Estadual Carlos Gomes (IECG). Como projeto, tem o papel fundamental de reunir trompistas de outras instituições de ensino da música, objetivando o aprimoramento técnico dos executantes, a divulgação do instrumento para a sociedade paraense e a diminuição da evasão escolar, propiciando o rendimento técnico e o interesse dos alunos pelo curso. O grupo é formado por Sóstenes Siqueira, Fabrício Santos, Paulo Sérgio, Abner Rodrigues, Lorena Cordovil e Ezequiel Rocha. A coordenação é do professor Sóstenes Siqueira.

QUINTETO DE SOPROS DA EMUFPA

O Quinteto de Sopros da EMUFPA é um projeto de extensão da Universidade Federal do Pará, em atividade desde 2014; idealizado pela professora Maria José de Moraes e compartilhado com os demais professores que o integram, tem como objetivo levar a música erudita instrumental para ambientes hospitalares e comunidades carentes, assim como atuar em apresentações artísticas diversas. Manter uma formação camerística deste porte em atividade na Escola de Música certamente contribui para o fortalecimento da área pedagógica e artística da instituição, uma vez que podem ser ampliados os estudos sobre práticas interpretativas, estimulada a produção de arranjos e divulgadas as atividades da Escola. Todos os integrantes são professores da EMUFPA: Dra. Maria José Moraes (flauta), Me. Luiggi Berg (oboé), Dr. Jacob Cantão (clarineta), Sóstenes Siqueira (Trompa) e Paulo Porto (fagote). Nesta apresentação, o quinteto terá a participação especial do professor Magno Moraes (percussão). 

SAM BAND PARÁ

É um dos grupos instrumentais da Escola de Música da UFPA, criado pelo Núcleo de Sopros da instituição e atuante desde 2003. A proposta do grupo é oportunizar, dentro de uma concepção didática, a prática instrumental aos alunos através de vários estilos musicais, em especial a Música Popular Brasileira. É constituída por alunos do curso Técnico em Instrumento – habilitação em Instrumentista de Big Band da EMUFPA, e já se apresentou em Florianópolis, no II Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica (2012), e em vários espaços artísticos de Belém, tais como: Theatro da Paz e Teatro Margarida Schivasappa. A coordenação e regência são do professor Thiago Levy.

ufpa

 

ESCOLA DE MÚSICA DA UFPA

End. Av. Conselheiro Furtado, 2007
E-mail. emufpa@ufpa.br
Tel. +55 (91) 3242-6233